AO VIVO
Menu
Busca domingo, 25 de julho de 2021
Busca
Goiânia
29ºmax
14ºmin
Correios Celular - Mobile
BOLSAS DE VALORES

Bolsas da Ásia fecham sem sinal único, com Xangai e Tóquio entre as com quedas

11 dezembro 2020 - 09h21Por GABRIEL BUENO DA COSTA Estadão Conteúdo

Os mercados acionários da Ásia não tiveram sinal único, nesta sexta-feira, 11. A Bolsa de Xangai e a de Tóquio estiveram entre aquelas com sinal negativo, com o avanço da covid-19 pelo mundo ainda preocupando investidores, mas outras praças tiveram bom desempenho.

No Japão, o índice Nikkei fechou em baixa de 0,39%, em 26.652,52 pontos. Tóquio foi pressionada por ações do setor imobiliário e de empresas de transporte de carga por via marítima. Além disso, o noticiário sobre o novo coronavírus no Japão esteve em foco.

Nos mercados chineses, a Bolsa de Xangai terminou em queda de 0,77%, em 3.347,19 pontos, e a de Shenzhen, de menor abrangência, caiu 1,31%, a 2.327,25 pontos. O quadro continua a ser de volatilidade nas praças chinesas, após Xangai ter atingido nas últimas semanas seus níveis mais altos neste ano. A Shanxi Securities afirma que a volatilidade deve prosseguir no curto prazo.

Em Hong Kong, o índice Hang Seng teve alta de 0,36%, a 26.505,87 pontos, com ações ligadas a petróleo e gás subindo em linha com os ganhos nos preços das commodities. O preço mais elevado do Brent apoiou o sentimento positivo na praça local, amparado também pela expectativa de distribuição de vacinas adiante.

Na Coreia do Sul, o índice Kospi subiu 0,86% na Bolsa de Seul, a 2.770,06 pontos, em nível de fechamento recorde e encerrando sua sexta semana consecutiva de ganhos. Papéis de varejistas estiveram entre os destaques, com o quadro apoiado também por dados de exportações preliminares considerados positivos. Em Taiwan, o índice Taiex subiu 0,09%, a 14.261,69 pontos.

Na Oceania, o índice S&P/ASX 200 fechou em queda de 0,61% na Bolsa de Sydney, em 6.642.60 pontos, mas ainda conseguiu marcar a sexta semana consecutiva de ganhos. Hoje, papéis dos setores financeiro e de saúde estiveram entre as baixas, mas o setor de energia subiu na praça australiana. (Com informações da Dow Jones Newswires).